Nuevos.

Um dia eu pisquei os olhos e você não estava aqui, então deixei toda a leveza de meus dias se esvair pra encontrar um novo caminho a seguir sem você aqui.
Sem você aqui eu aprendi que posso ser muito mais forte, que vivo a mercê da sorte e todas as coisas que conquistei foi luta, as vezes isso assusta, a ferocidade que você tem que ter para conquistar o necessário, derrubar um adversário…Esquenta toda a frieza dos que não acreditam na raça humana.
O gelo quebrado trouxe-me boas imagens de um passado do qual eu era apenas sombra, essas boas imagens peguei pra mim, pra viver, e o resto eu segurei aqui, pra não esquecer.

Um novo caminho a seguir.

O tempo levou pra longe todas as memórias existentes nesta caixa. As cartas e as fotos não existem mais, bem como os emails e os papeis de bombons que você me trazia depois do trabalho para agradar meus dias exaustivos; o tempo levou pra bem longe tudo o que eu poderia ter de memória do que um dia foi eu e você, levou o tempo e o vento a capacidade de sentir sem sofrer, de sorrir sem saber o porquê.
Embora o tempo tenha levado tudo o que me parecia bom, ele me trouxe a capacidade de reconstruir a vida que eu tinha a partir do que eu sempre quis ter, ele me deu a capacidade de imaginar como vai ser tudo aquilo que nem ao menos é.
O presente me dá as notas para compor a minha mais nova canção.

Continuar a ler

Y tu amor…

Depois de sete meses eu sinto aquela calmaria que antecede uma tempestade e não encontro mais nada a dizer; usei toda a minha frustração construindo um futuro e agora é chegada a última prova, o que me incomoda é não enxergar a solução para o que vem antes do resultado, é mais um mês para o meu calendário pessoal, mais um mês abrindo a caixa de correio e não encontrando nada do que esperava ou queria.
Confesso que julguei mal aquele homem, eu o achava perfeito mas apenas por não querer ver as verdades por trás daqueles olhos verdes que nunca presenciei, ele não me amava, mas eu o amava demais, eu via o meu amor encher a sala, o quarto, a distância toda, eu até cheguei a abraçar o mundo para mostrar o amor que estava dentro de mim. E como pode um ser humano amar tanto alguém que ele não vê?
É apenas uma questão de sonhar e descobrir o que te satisfaz em alguém, e tenho certeza de que enquanto escrevo sobre isso, o homem dos meus sonhos, aquele que realmente existe e me completa está pensando a mesma coisa, talvez ele não saiba que um coração partido não é apenas um coração partido: É a lição para o próximo nível, a próxima pessoa, que pode ser eu, e ai será a última.

Ahí.

Tu mudas o corte de cabelo um dia antes pra eu te notar, mudas as roupas, os gestos e tenta me desprezar pra ver meus lábios se contorcerem num bico e perguntar o que te fiz desta vez, com a minha voz mais doce, meus olhos nos teus e as mãos sobre as tuas, mas eu continuo a negar e dizer a mim mesmo que esta luta não é tua, é minha, a última parte que se recupera daquele coração dilacerado pelo tempo e a indiferença de outrora.
Longas conversas de madrugada, regadas de café e de confissões de uma garota quase apaixonada ficarão na memória, mas em certos pontos da vida, tu e eu temos que escolher o que somos: As encharcadas memórias de amantes errados ou os brilhantes sorrisos de viventes alegrados.
Não tenhas pressa e não te esqueças, do lado de cá sempre terá alguém, em qualquer momento, pra qualquer coisa, eu sou alguém que vai te pedir pra respirar quando nada mais te acalmar.

Nada.

Não saber o porquê das coisas pode ser um grande passo para viver, pelo menos eu espero que seja assim pois acredito nisso.Acredito quando acordo de manhã e me pergunto porque as coisas não são exatamente do jeito que eu queria, procuro a resposta deixando meu coração na ponta de um lápis, em um caderno sem linhas e sem margens…Não encontro, mas deixo as perguntas lá, num paradoxo entre prisão e liberdade, minhas palavras ficam presas no papel, mas soltas pela inexistência dos limites (linhas e margens), elas não me dão respostas, mas me dão o que pensar.
Acho chique esse negócio de tecnologia, teclar e ver tudo milagrosamente em uma tela, apesar de gostar bem mais da minha máquina de escrever, aposentada porque não encontro a fita para as letras aparecerem na sequência que eu quero, as vezes digito nela só para sentir o arrepio de ter palavras desaparecidas, elas estão ali, mas não posso ver, sem os caracteres e as milhares opções de fontes.
Ultimamente as palavras fogem de mim e eu não corro atrás delas, mas gostaria que elas aparecessem, talvez o problema não seja as palavras, talvez seja o assunto. Sou do tipo que fala muito de amor, mas não acredito mais nele, o amor nessa sociedade individualista e egoísta está com problemas, mas eu sinto falta dele e ele não sente falta de mim, então me bloqueia da criatividade que ele me trás e eu acabo onde estou agora, tagarelando sobre nada.
Mas se o tal do amor quiser aparecer pra me ajudar de novo, já passou da hora.

Tren bala.

Minha vida é definitivamente um trem bala, as vezes vejo a velocidade com que as coisas acontecem e não consigo me lembrar do que me levou a isso, as escolhas, as pessoas, os momentos…
Só sei que com cada parada na estação, vem a vontade de me impulsionar para frente, com toda a rapidez que o mundo permite, sentir a adrenalina e o orgulho de tudo que conquistei, o vento, o sol e os sons que estão aqui, é tudo muito rápido, mas permanente.
O lado ruim de ser um trem bala é que a vida se resume a passageiros e estações, não tenho nada fixo a não ser a rotina dos trilhos que percorro, daqui a alguns dias não sou mais quem estou, passei, corri e levei aquelas mesmas pessoas aos mesmos lugares e sem me dar conta, me impulsiono novamente, por instinto.
Próxima parada: Eu não sei, mas se você quiser, venha como passageiro e talvez possamos ficar juntos na próxima estação.

Buenos Diaz!

O nascer do sol marca mais um dia que você viverá, sou eu quem te acorda, com uma faca roçando em seu peito e a vingança em meus lábios; o cheiro que vem de sua pele é semelhante a esgoto, o enxofre fere minhas narinas e é sinal de que em seus sonhos você visitou sua futura casa, o inferno.
Antes do golpe final vejo quão ridícula você é, e sinto pena.
O cabelo mal lavado, sem escovar, os olhos raivosos por ter sido pega em sua própria armadilha, o cheiro que me da tanta ânsia…Ninguém merece morrer nesse estado.
E ninguém merece uma traição.Dou-lhe o primeiro golpe e sinto o sangue escorrer pelos meus dedos, são 6:15 da manhã e não posso me atrasar, ouço seu grito de dor e sinto prazer, mas ainda não saciada, isso não foi nem um quinto do que senti.
Então esfaqueio o resto do seu corpo asqueroso até sentir que o pulso não pulsa mais; levanto-me e saio lentamente…Ainda não acabou.
Jogo gasolina em seu cadáver e acendo um fósforo, enquanto seu corpo queima, ouço seus gritos. Demônio, nem sendo esfaqueada morre!
Tomo banho e saio de sua casa em chamas com cara de santa, ninguém sentirá sua falta, tampouco lamentará, só fiz o que deveria ser feito.
No dia seguinte, escreveram uma nota no jornal local, devido as milhares tentativas de suicídio, ninguém duvidou e nem procurou saber outra causa, se matou. Sem ter um porque, a mãe dizia que ela era bem infeliz mesmo, e não tinha amigos, só um namoradinho que foi visitar-la.
É o meu crime perfeito, em sonhos.

Radio.

Eu me apaixono todos os dias.

Me apaixono por fotos, sorrisos, olhares perdidos e auras…As auras são as mais interessantes de se apaixonar, as vezes estou andando perdida em algum devaneio e é como se eu fosse um rádio ambulante conectado em alguma estação exclusiva, repentinamente alguém entra nessa estação e eu apenas observo, o olhar é perdido, o pensamento está longe…É um dos meus, é um sonhador, ou apenas está a procura da mesma coisa que eu…Alguém.
Uma vez ocorreu algo estranho, eu presa a um tédio irreversível na frente deste computador, encontrei alguém igual a mim em estado e diferente em maneiras, foi amor não-confessado a primeira troca de palavras, era a mesma estação, uma pessoa diferente e uma essência envolvente que eu ainda não sei explicar, mas também…Faz tão pouco tempo!
Acho engraçado o emprego que faço do ainda, do jeito que a banda toca, nunca vou poder dizer o que me fez entrar e me envolver tanto com ele, mas é a vida e sigo me apaixonando todos os dias, por fotos, sorrisos, olhares e auras.

Só enquanto eu não posso me apaixonar todos os dias por você.