O sol.

Do alto dos meus 12 andares vejo o sol nascer todos os dias no horizonte do mar, meu primeiro pensamento é perguntar porque estou aqui, o segundo é você. Como está você? Pra onde foi você? O que vai dar de mim e você? O amor é jogado fora ciclicamente todos os dias, meu amor te procura tímido com esses olhares de quem quer mas tem que esperar pra ser tudo perfeito, seu amor procura outra pessoa, e o dessa outra pessoa já encontrou outro alguém que não é você.

E é quando eu meus olhos encontram páginas de livros antigos, histórias que vivi e cansei de repetir que percebo porque você está aqui, é a minha revanche, a hora de fazer justiça ao meu coração que já apanhou demais, tanto que não sabe mais colocar uma máscara ou me ajudar a verbalizar o sentimento. É a hora de sentir sem machucar, de pegar pra mim sem medo…É a minha hora de mostrar que o presente vale mais que teu passado sujo, e que nosso passado não existiu em vão, ele está presente no hoje, com suas feridas que devemos sarar.

Não terei mais salas de estar na memória de onde nunca mais vou pisar, não pensarei mais no “quase” ou nos meus erros, irei encontrar uma maneira e parar de sofrer em silêncio do alto dos meus 12 andares quando vejo o sol se por, tão longe e tão lindo me trazendo uma pequena alegria, e quando eu conseguir você será como um sol. Longe e lindo, me trazendo alegrias do começo ao fim do dia.