Sobre 21. P. I

Eram 21:40 e eu me olhava no espelho da faculdade os olhos cansados e o corpo dolorido pediam desesperadamente por um descanso, enquanto olhava meu reflexo notei um cachinho solto do meu coque feito por falta de tempo para arrumar o cabelo antes de sair. Talvez fosse um que sobrou dos penteado de ontem, muitos cachos grandes e uma flor pra segurar uma parte esquisita do meu cabelo, mas aquilo me fez lembrar outra peculiaridade do meu cabelo de 7 anos atrás.

Há 7 anos meu cabelo era vermelho impossível de ficar bonito depois que saia do salão porque eu tinha uns fiozinhos insistentes que ficam virados para fora na altura da testa, percebi depois de um tempo que era de família (cerca de um ano depois, porque assim como minha prima Cassiana, as gêmeas também tinham), depois comecei a achar que eram hormônios porque todas as minhas amigas adolescentes tinham.

E na minha vontade de dormir as 21:40 eu me lembrei dos 7 anos anteriores a esse, desde as noites que eu me emburrei porque não queria dormir as 22:00 pra ir pra escola, até aquelas em que virei para poder ir pra faculdade no dia seguinte sem me prejudicar tanto, lembrei das viagens para visitar minha família no interior e como achava que aquilo seria algo frequente, lembrei de conversar sem jeito com meu avô que se foi e com meu amigo que também faleceu nesses últimos 7 anos, me lembrei de amigos intimos que agora são pequenas memórias e do desespero por encontrar amor em tantas pessoas.

Hoje eu percebi que está tudo mudado, eu estou seguindo um projeto de vida bastante ambicioso, tenho um ótimo namorado que culminou de ser um que me conhece há 15 anos, tenho novos amigos que em 2 ou 3 anos me ensinaram muito e cresceram muito comigo, tenho uma amiga maravilhosa que é uma artista nata que eu conheci na porta da diretoria da escola com uma camiseta de banda “emo”, tenho amigos tão antigos que vão passar um tempo fora, amigos não tão antigos que decidiram ficar mais perto, amigos que se envolveram com o crime, amigos que estudam crime, moda, comércio exterior, ser mãe, ser pai, me chamam para ser madrinha de casamento, me chamam pra formatura, me enviam livros, tccs, teses, chocolates de suas pequenas fábricas…

São 21 anos, sou quase um bebê e continuo fazendo manha porque quero dormir.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s